Fagia

Série Fagia
Partindo dos conceitos de ocupação e perda, construo o processo criativo no meu trabalho. A ocupação das coisas no mundo real, digital e no pictórico, onde a apropriação de elementos presentes num universo, ao passo que na sua interpretação para a produção artística, ocorre à perda de características, cores e significados. É a possibilidade de falar da figuração, de uma nova maneira, um novo olhar.
Essa prática integra o meu fazer em artes desde o inicio. Reproduzindo quase como uma cópia da realidade na interpretação de cores e detalhes. Com o tempo, fui me interessando pela busca de novas relações entre a imagem referenciada e a imagem pictórica. Assim, as sombras dos objetos me mostraram a possibilidade de falar desse objeto, de uma nova maneira, um novo olhar. Trazendo para a produção artística, as sombras funcionam para falar da própria pintura: a figura integrada por manchas de cores formadas pela aplicação de pinceladas.
Nesse caminho, surge a produção da série denominada “Fagia”. Fagia significa “a ação de alimentar-se”. Cada trabalho apresenta uma ação em que os elementos presentes na pintura, como as imagens sobrepostas em formato de sombras, estivessem “alimentando-se” um dos outros. Com isso, as imagens absorvem as características entre si, formando novas possibilidades figurativas. A apropriação de imagens do universo digital para o pictórico, também passa por esse processo de “alimentação”, onde as referências pesquisadas ganham novas visualidades e significados na construção plástica da obra.
A pesquisa se inspirou na observação no meu quintal de casa: um inseto se alimentando de outro.  A criação parte da apropriação de imagens, com visitas em sites da internet com termos do tipo “silhuetas de insetos”, “insetos fundo branco”, “silhuetas de aves”. Com essas referencias, inicio o desenho no suporte escolhido, realizando a composição dos elementos, buscando combinações possíveis ao universo pictórico, mas incompatíveis se for pensar na realidade das imagens referenciadas. O processo finaliza com a pintura das figuras em tons matizes, mantendo em algumas obras a próprio cor do suporte para o fundo.

O deslocamento da imagem referenciada: do mundo realístico, passando pelo mundo digital, finalizando no “mundo pictórico”, lida com perdas que estão ligadas às subjetividades: seja, pela minha representação da imagem como o autor da obra, até a observação do expectador, cada um se “alimentando” daquele percurso, apontando informações que serão absorvidas e outras deixadas de lado, e a cada exibição da obra, sendo um processo de resignificação da experiência com a imagem.

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 1, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre papel canson
Tamanho: 29,7 x 42 cm (A3)
Ano: 2016


Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 2, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre papel canson
Tamanho: 29,7 x 42 cm (A3)
Ano: 2016

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 3, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre papel canson
Tamanho: 29,7 x 42 cm (A3)
Ano: 2016

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 4, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre tecido
Tamanho: 39 x 65 cm
Ano: 2016

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 5, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre tecido
Tamanho: 39 x 65 cm
Ano: 2016

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 6, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre tecido
Tamanho: 52 x 65 cm
Ano: 2016

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 7, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre tela
Tamanho: 30 x 40 cm
Ano: 2016

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 8, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre tela
Tamanho: 30 x 40 cm
Ano: 2016


Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 9, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre tela
Tamanho: 30 x 40 cm
Ano: 2016


Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 10, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre papel canson
Tamanho: 29,7 x 42 cm (A3)
Ano: 2016

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 11, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre papel canson
Tamanho: 29,7 x 42 cm (A3)
Ano: 2016

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 12, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre papel canson
Tamanho: 29,7 x 42 cm (A3)
Ano: 2016

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 13, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre papel canson
Tamanho: 29,7 x 42 cm (A3)
Ano: 2016

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 14, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre papel canson
Tamanho: 29,7 x 42 cm (A3)
Ano: 2016

Autor: Kleber Marcellino
Título: sem título 15, da série Fagia
Técnica: tinta acrílica sobre papel canson
Tamanho: 29,7 x 42 cm (A3)
Ano: 2016


Nenhum comentário:

#correntespositivas

#correntespositivas
Vale do Anhangabaú, São Paulo, 2016.